Meditação Por do Sol 2019

Print Friendly, PDF & Email

ABENÇOADOS PARA ABENÇOAR

Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis Minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da Terra. Atos 1:8

No fim de 2019, o projeto “Missionários para o Mundo’ (MPM) completará cinco anos. A cada pôr do sol, temos lido histórias de 25 famílias que estão cumprindo a missão nos extremos da Terra. Nós nos sentimos mais perto deles ao conhecer as curiosidades e os milagres vividos, dia após dia, na região mais desafiadora do mundo para o cristianismo — a chamada Janela 10/40. Nessa parte do planeta estão 2/3 da população mundial, mas apenas 1% é cristã. Existe, em média, um adventista para cada mil habitantes, enquanto no mundo há aproximadamente 375 pessoas para cada adventista. Nessa região, 84% dos habitantes são vítimas da pobreza, sendo que 40% deles são crianças. De maioria muçulmana, hindu e budista, bilhões de pessoas nunca ouviram falar sobre Jesus. Além disso, 31 dos 52 países menos evangelizados do mundo estão nesse território. O chamado de Deus a Abraão é o mesmo para todos que conhecem Seu amor: “Em ti serão benditas todas as famílias da Terra” (Gn 12:3). Em Gálatas 3:29, encontramos o cumprimento dessa promessa em Jesus, que alcança e abençoa todas as famílias: “E, se sois de Cristo, sois descendência de Abraão e herdeiros segundo a promessa.” Hoje, cada membro fiel tem a oportunidade de compartilhar sua bênção com as famílias da Terra. Por meio dos dízimos e das ofertas, a igreja espalha o amor ,,de Deus em todo o mundo; e, com os dons de cada um, abençoa aqueles que estão mais próximos. A Igreja Adventista é a única denominação cristã que está presente em 217 dos 236 países reconhecidos pela ONU (Organização das Nações Unidas). Parte dos dízimos e das ofertas são destinados ao cumprimento da promessa de abençoar todas as famílias da Terra. “E a graça de Deus sobre a pequena porção que a torna toda-suficiente. A mão de Deus pode multiplicá-la ao cêntuplo. De Seus recursos, Ele pode estender uma mesa no deserto” (Ellen G. White, Vidas Que Falam, p. 226). A cada culto de pôr do sol, ore por essas 25 famílias, a fim de que tanto elas quanto nós sejamos fiéis em nosso dever para que Jesus volte logo.

Sua fidelidade e oração os mantêm lá.

Herbert Boger Júnior

Líder de Mordomia Cristã

Coordenador do Projeto MPM


ÍNDICE DAS MEDITAÇÕES

 

  1. A GRANDE SURPRESA – 04 DE JANEIRO 2019
  2. A ORAÇÃO DE UMA REFUGIADA – 11 DE JANEIRO 2019
  3. ABRA A BOCA! – 18 DE JANEIRO 2019
  4. ABRINDO O CORAÇÃO – 25 DE JANEIRO 2019
  5. ALEGRIA EM MEIO Á TRISTEZA – 01 DE FEVEREIRO 2019
  6. AMIZADE POR ACIDENTE – 08 DE FEVEREIRO 2019
  7. CHUVA DE ÁGUA E DE BÊNÇÃOS! – 15 DE FEVEREIRO 2019
  8. COADJUVANTES – 22 DE FEVEREIRO 2019
  9. COINCIDÊNCIA NÃO, PROVIDÊNCIA! – 01 DE MARÇO 2019
  10. LIGANDO OS PONTOS – 08 DE MARÇO 2019
  11. DEUS HONRA A FIDELIDADE – 15 DE MARÇO 2019
  12. CONTATO INESPERADO – 22 DE MARÇO 2019
  13. AQUECIDA PELA GRATIDÃO – 29 DE MARÇO 2019
  14. O CUIDADO DE DEUS – 05 DE ABRIL 2019
  15. PORQUE DELAS É O REINO DOS CÉUS – 12 DE ABRIL 2019
  16. DEUS EM AÇÃO – PARTE I – 19 DE ABRIL 2019
  17. DEUS EM AÇÃO – PARTE II – 26 DE ABRIL 2019
  18. DEUS NÃO EXISTE? – 03 DE MAIO 2019
  19. DIVÓRCIO ANULADO – 10 DE MAIO 2019
  20. EM NOME DE JESUS – 17 DE MAIO 2019
  21. FÉ E MONTANHAS – 24 DE MAIO 2019
  22. FICHA LIMPA – 31 DE MAIO 2019
  23. TOMANDO PELAS MÃOS – 7 DE JUNHO 2019
  24. NO MEIO DO CAMINHO – 14 DE JUNHO 2019
  25. INSHALLAH – 21 DE JUNHO 2019
  26. A LUZ DO MUNDO – 28 DE JUNHO 2019
  27. MENSAGEM AO MUNDO – 05 DE JULHO 2019
  28. A RESPOSTA ESPECÍFICA – 12 DE JULHO 2019
  29. MILAGRES EM TERRA ESTRANGEIRA – 19 DE JULHO 2019
  30. NÃO MAIS MARISCOS – 26 DE JULHO 2019
  31. O DESAFIO DA HOSPITALIDADE – 02 DE AGOSTO 2019
  32. O MAIS IMPORTANTE – 09 DE AGOSTO 2019
  33. DEUS COMPLETARÁ SUA OBRA – 16 DE AGOSTO 2019
  34. O MELHOR LUGAR – 23 DE AGOSTO 2019
  35. O MINISTÉRIO DA PRESENÇA – 30 DE AGOSTO 2019
  36. O PRIMEIRO DIA – 06 DE SETEMBRO 2019
  37. OS SOLDADOS DESCONHECIDOS DE CRISTO – 13 DE SETEMBRO 2019
  38. A RESPOSTA DE DEUS – PARTE I – 20 DE SETEMBRO 2019
  39. A RESPOSTA DE DEUS – PARTE II – 27 DE SETEMBRO 2019
  40. PERSEVERANDO UNÂNIMES – 04 DE OUTUBRO 2019
  41. PREGANDO SEM PALAVRAS – 11 DE OUTUBRO 2019
  42. UM JESUS MODERNO – 18 DE OUTUBRO 2019
  43. QUANDO O ESPÍRITO SANTO FALA – 25 DE OUTUBRO 2019
  44. RESPOSTA Á ORAÇÃO – 01 DE NOVEMBRO 2019
  45. SÁBADO, FRUTOS E FIDELIDADE – 08 DE NOVEMBRO 2019
  46. LIVRES – 15 DE NOVEMBRO 2019
  47. SOB SEUS CUIDADOS – 22 DE NOVEMBRO 2019
  48. SOMENTE UMA VARA – 29 DE NOVEMBRO 2019
  49. TRANSFORMANDO GERAÇÕES – 06 DE DEZEMBRO 2019
  50. UM CENTRO DE ESPERANÇA – 13 DE DEZEMBRO 2019
  51. PRESENTE DE NATAL – 20 DE DEZEMBRO 2019
  52. UM NOVO CORAÇÃO – 27 DE DEZEMBRO 2019

FEVEREIRO 2019


JANEIRO 2019


A GRANDE SURPRESA – 04 DE JANEIRO 2019

E será que, antes de clamarem, Eu responderei; estando eles ainda falando, Eu os ouvirei. Isaías 65:24

Mais uma vez entrávamos em um avião. Nessa ocasião, porém, estávamos indo para o Oriente Médio. Começaríamos novamente o processo de adaptação com a língua e a cultura. No entanto, havia uma grande diferença, pois estaríamos no campo missionário pela primeira vez com um bebê. Tudo havia mudado em nossa vida, nossa família havia crescido e nossos anseios e expectativas eram maiores. Sempre que nos mudávamos, pedíamos a Deus que nos levasse aonde pudéssemos ser úteis. O que não imaginávamos é que Ele ouviria nossa oração antes mesmo de chegarmos a nosso destino. Ao entrar no avião, encontramos nossos assentos e percebemos que havia um casal ao lado que também tinha um bebê — uma garotinha. O casal foi muito simpático, e a mulher logo se apresentou dizendo que era brasileira, e seu marido, britânico. Conversamos várias vezes durante o voo. Em um daqueles momentos, eu lhe perguntei sobre como ela achava que estaria o clima na Inglaterra, já que ficaríamos lá por algumas horas. Então ela me disse que estava bem frio e que seria importante agasalhar bem o bebê. A partir de então, eu não pensava em mais nada, já que havíamos despachado todas as malas, e eu não tinha separado nenhum agasalho. Ao anunciarem a aterrissagem, ela mais que depressa se levantou e tirou algo da bolsa e me disse que aquele casaco era para o meu menino. Fiquei muito feliz. Eu não tinha palavras para agradecer por aquele gesto tão amável de alguém que eu havia conhecido havia algumas horas. Ao guardar o casaco procurei alguma coisa para presenteá-la, a fim de expressar minha gratidão. Foi então que vi a Bíblia infantil do meu filho. Senti que aquele deveria ser o presente, mesmo ela sendo muito especial para nós. Então, lhe entreguei a Bíblia. Logo que ela percebeu o que era, seus olhos se encheram de lágrimas. Ela nos agradeceu e sua garotinha rapidamente eomeçou a folheá-la. Além disso, ela comentou que esse presente seria muito bom para sua lamília, uma vez que não possuía nada espiritual em casa. Disse também que essa seria a primeira Bíblia de sua filha. É impressionante como Deus pode usar pequenas situações como oportunidades para mostrarmos Seu amor às pessoas ao nosso redor. Não importa o lugar, podemos cumprir nossa missão onde houver alguém necessitando de Deus. Sua fidelidade e oração os mantêm lá!


A ORAÇÃO DE UMA REFUGIADA – 11 DE JANEIRO 2019

Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz. Elias era humano como nós. Ele orou fervorosamente para que não chovesse, e não choveu sobre a terra durante três anos e meio. Tiago 5:16, 17, NVI.

Solim é uma adolescente refugiada. Quando falamos que queríamos iniciar um Clube de Desbravadores no campo de refugiados em que Solim morava, ela foi uma das primeiras a se voluntariar para cuidar das crianças menores. Também foi uma das responsáveis em trazer grande parte dos integrantes do clube, inclusive três de seus irmãos. Ela morou no campo durante cinco anos e sempre nos falava que sua família estava tentando ir para a Austrália como refugiada, o que poderia demorar muito para acontecer. No clube do qual Solim fez parte, as atividades são diferentes daquelas que são realizadas nos clubes de Desbravadores da América do Sul. Uma vez que todos os integrantes do clube são muçulmanos, muitos requisitos tiveram que ser modificados, mas o objetivo principal continua o mesmo. Também decidimos fazer várias ações voltadas às famílias mais carentes do campo. Um dia, decidimos aplicar a especialidade de intercessor. A atividade principal consistia em fazer um mural de oração, escrever os pedidos nele e orar pelas pessoas do campo. Explicamos às crianças que o clube pode ajudar a comunidade de muitas maneiras, e a oração é uma delas. O objetivo dessa atividade era que os desbravadores entendessem que há poder na oração. Naquele dia, Solim não gostou muito da reunião e falou que Deus nunca tinha respondido às ,, suas orações. Ficamos muito tristes com isso, mas continuamos orando por ela e pelas outras crianças. Após algumas semanas, pedimos que elas indicassem os pedidos que haviam sido respondidos. Então Solim, que estava traduzindo, falou com grande empolgação que Deus tinha respondido à sua oração e a de seus irmãos. Ela e sua família finalmente haviam conseguido marcar a viagem para começar uma vida nova na Austrália. Deus fez muitas promessas sobre o poder da oração. As portas dos Céus estão abertas, esperando para derramar bênçãos sem medida para os que ereem. Por isso, devemos nos ajoelhar e rogar fervorosamente para que Deus nos ajude a viver os planos que Ele já idealizou para nós. Solim, mesmo sem entender direito o que é a oração, orou e Deus a ouviu. Portanto, não desperdice a oportunidade de orar hoje. O Senhor não apenas ouvirá sua oração, mas também lhe dará uma resposta. Sua fidelidade e oração os mantêm lá!


ABRA A BOCA! – 18 DE JANEIRO 2019

Pois Tu formaste o meu interior, Tu me teceste no seio de minha mãe. Graças Te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as Tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem. Salmo 139:13, 14.

Moramos em um país que tem recebido mais de 2 milhões de refugiados nos últimos anos, principalmente do Iraque e da Síria. Com o intuito de interagir e aliviar o sofrimento das mulheres dessas comunidades, começamos a nos reunir uma vez por semana para dar aulas de inglês, saúde, culinária e artes. Certo dia, em uma aula de artes, resolvi aplicar uma atividade prática em que elas pudessem interagir. Assim, comecei a aula sobre como moldar uma flor. A ideia era realizar rapidamente a atividade e apresentar uma mensagem espiritual em seguida. No entanto, devido à empolgação daquelas mulheres, o tempo destinado à parte espiritual foi diminuindo. Eu havia preparado uma pequena meditação que mostrava como Deus empregou Seu amor ao nos criar. Tudo estava preparado e traduzido. Havia treinado por duas semanas a fim de que tudo saísse bem. Quando o momento chegou, porém, eu não conseguia achar a brecha de que necessitava, lembrando-me de que precisamos ser muito sutis quando abrimos a Bíblia com um muçulmano. Então, comecei a orar mentalmente e acabei pensando que deveria encerrar sem a meditação, uma vez que o tempo estava avançado. No mesmo instante, veio à minha mente uma voz que dizia: Se você não falar, quem irá falar? Gelei! Enquanto pensava em uma forma de introduzir o tema espiritual, uma das mulheres me pediu uma cola instantânea. Entreguei a ela, mas o bico estava entupido. Sem pensar no perigo, inconscientemente coloquei o bico da cola na boca para desentupi-lo; então, a cola explodiu. Na mesma hora, aquela voz me disse: abra a boca! E foi o que eu fiz. Iodas as mulheres ficaram paralisadas. Fui ao banheiro e tentei tirar o máximo que pude da cola. Quando voltei, elas continuavam em silêncio. Descontraí dizendo que esse não fora um bom exemplo a ser seguido e aproveitei o silêncio para meditar com elas, mesmo com resíduos de cola em minha boca. Todas prestaram muita atenção. Pedi que alguém lesse o Salmo 13^- Então sugeri que dedicássemos mais tempo a esse Deus que nos criou com tanto amor. Quase deixei essa oportunidade passar. Primeiro pelo medo e desconforto, depois pelo fato de que alguém tentou fechar minha boca a todo custo. Contudo, meu Senhor é um Deus de compaixão, paciência e proteção. Tenho certeza de que a mensagem de um Deus mais íntimo, presente e acessível tocou o coração de minhas amigas. Sua fidelidade e oração os mantêm lá!


ABRINDO O CORAÇÃO – 25 DE JANEIRO 2019

Faze o trabalho de um evangelista. 2 Timóteo 4:5

Trabalhar em um campo missionário tem suas peculiaridades. Você se depara 1 com uma nova língua, uma cultura diferente da sua, costumes estranhos, etc. Devido a esses pontos, a pregação do evangelho se torna desafiadora. Diante dessa realidade, é importante aproveitar todas as oportunidades, a fim de “abrir o coração” daqueles com quem entramos em contato, tendo como objetivo principal levá-los a Cristo. Na ilha onde trabalhamos, várias pessoas vêm de outros países para buscar uma vida melhor. Dentre elas, estão aqueles que não falam a língua local de forma fluente. Sendo assim, não conseguem se comunicar de forma clara nem conseguem um bom emprego. Compreendendo a necessidade dos imigrantes, iniciamos um curso de inglês gratuito, realizado duas vezes por semana. Eles vêm até nossa casa, estudam, e, ao final, sempre oferecemos um chá. Dessa maneira, podemos conversar a respeito de várias coisas, incluindo temas bíblicos. Sempre aproveitamos essas oportunidades para convidá-los para participar de nossos encontros de estudo a respeito de Jesus. Após dar início ao curso de inglês, várias pessoas vieram até mim e perguntaram se também haveria a possibilidade de que eu lhes ensinasse português. Prontamente me organizei e iniciei uma classe de português. A primeira na história da ilha. Outra forma que nós utilizamos para atrair as pessoas para a igreja são os recém-formados clubes de Aventureiros e Desbravadores. Todo domingo, nos encontramos para realizar as atividades do cartão e para estudar a Bíblia. Ainda ^ neste ano, teremos nossa primeira investidura. Em breve, serei o treinador do time oficial de basquete da ilha para as crianças entre 10 e 16 anos. Por meio dessa oportunidade, planejo levá-las ao Clube de Desbravadores. Para alcançarmos as pessoas, precisamos estar no meio delas. Com projetos como esses, temos conseguido aos poucos quebrar as barreiras e os preconceitos que as pessoas tinham a respeito da igreja. Ellen White diz que não devemos ser “homens de visão acanhada, estereotipados com uma única maneira de trabalhar” (Evangelismo, p. 106). Portanto, apresentar Jesus, além de necessário, é nosso objetivo final; mas, para isso, temos que abrir o coração das pessoas para a mensagem do evangelho por meio de diferentes projetos. Sua fidelidade e oração os mantêm lá!

Facebook Comments
Fale Conosco!