Toques de Alegria 2019

Print Friendly, PDF & Email


DESCRIÇÃO

Sabia que Deus vibra com você? Só de pensar em você, Ele Se regozija com brados de alegria. Este devocional está repleto de histórias que celebram o lindo vínculo entre o Pai celestial e você – Sua preciosa filha. A Palavra de Deus nos promete que, por intermédio de Seu Filho, nossa segurança está garantida, nossa provisão é certa. Diante de uma vida tão abundante, por que permitir que o inimigo roube nossa paz e tire nosso prazer de viver?
Qual é sua necessidade hoje? Encorajamento e motivação para tom ar decisões? Você deseja experimentar a satisfação da presença de Deus? Conheça as histórias de mulheres do mundo inteiro e saiba como encontraram a felicidade proporcionada por Cristo e pelos caminhos que Ele provê para nós: família, amizade, mentores e até mesmo os desafios e as provações. Fique atenta aos toques de alegria que o Senhor sempre dá à sua vida.


FEVEREIRO 2019


JANEIRO 2019


MEU VESTIDO DE SEDA – 01 DE JANEIRO 2019

Escolham hoje a quem irão servir […]. Mas, eu e a minha família serviremos ao SENHOR. Josué 24:15

Anos atrás, eu queria um vestido de seda, mas não tinha dinheiro para comprar o tecido. Algum tempo depois, comprei um tecido macio, brilhante e cinza-prateado para confeccionar o lindo vestido que usei no meu casamento. Parecia uma segunda pele no meu corpo – elegante, leve e muito bonito! Era um vestido apenas para ocasiões especiais. Sendo assim, eu o usei poucas vezes e o lavei uma ou duas vezes. Um dia, decidi usá-lo na festa de casamento de uma grande amiga. Tirei o vestido de seda do armário para vestilo. Mas não consegui fechá-lo. Prendi a respiração, encolhi a barriga e pedi para meu esposo lutar com o zíper. O vestido não me servia mais e tive que me desfazer dele. O vestido não mudou de tamanho, mas eu sim. Foi doloroso ter que doá-lo – um fim triste para a história do meu vestido de seda. É comum, não é mesmo? A mesa que mantemos apenas para ocasiões especiais. O diário que nunca é lido. A visita que adiamos até que seja tarde demais. Ou sofremos com o passado, tememos o futuro e esquecemos de viver e desfrutar o presente. O que guardamos pode perder o valor ao longo do tempo. Então, no início deste novo ano, precisamos pensar sobre o significado da palavra agora. “Este momento é o tempo marcado”. Os israelitas tiveram que decidir se voltariam para o que eles conheciam e não gostavam ou se seguiriam rumo ao desconhecido. E eles precisaram decidir naquele momento. Em João 12:3 a 9 lemos a história de Maria Madalena, que no passado se sentiu suja, abusada, rejeitada e indigna. Mas ela fez o que o coração, impressionado pelo Espírito de Deus, disse a ela para fazer naquele momento – ungir os pés de Jesus com um perfume caro. Embora criticada pelos homens, ela entregou aquele momento a Jesus. Aquele momento foi o tempo dela – e também foi o tempo Dele para devolver a ela o valor dado por Deus. Nós, mulheres, podemos fazer coisas que os homens não podem; os homens podem fazer coisas que as mulheres não conseguem. Reconheçamos o nosso verdadeiro valor dado por Deus e façamos o que Ele nos pede para fazer. Mudemos os hábitos agora. Não esperemos até que o vestido não sirva mais ou até que seja tarde demais para aquela visita. Não esperemos até que o casamento esteja em pedaços. Não esperemos até esquecer o que gostamos ou até nos perdermos. Sejamos sal e luz! Lembremos o passado e enumeremos as bênçãos presentes. Sejamos corajosas. Agora!

Denise Hochstrasser

01/01/19

🌸 Bom dia Mulher 🌸Me Vestindo de Sede.

Publicado por Adventistas Sul em Sexta-feira, 21 de dezembro de 2018


O ANO QUE NUNCA ESQUECEREI – 02 DE JANEIRO 2019

Lancem sobre Ele toda a sua ansiedade, porque Ele tem cuidado de vocês. 1 Pedro 5:7

Você já teve um ano bem difícil? Um ano em que tudo parecia dar errado? Nas primeiras horas do dia 1o de janeiro, o som de fogos de artifício preenchia o ar. Residentes e visitantes ocuparam as ruas para celebrar o novo ano. Em meio à alegria, meus pensamentos se voltaram para os eventos que aconteceram no ano anterior. Orei: Oh, Senhor, obrigada por poupar minha vida para ver este novo ano. Como foi difícil esse ano que passou! Você já teve um daqueles anos em que os desafios cercaram sua família por todos os lados? Dificuldade em atender às demandas financeiras? Ou um terrível acidente de carro que afetou sua mobilidade? Ou um diagnóstico médico – que incluiu muitos testes, muitos médicos e poucas respostas. Um diagnóstico que fez você se perguntar onde estava o Grande Médico; então você viu as contas médicas se acumularem e se apegou a soluções que poderiam trazer alívio e cura. Você encontrou conforto em Deus, em Sua mensagem e nas palavras daqueles que a amam. Essas palavras, em horas de desespero, lembraram você para não ter medo porque, como aconteceu com o teimoso Sansão, Deus ainda está envolvido em sua vida. O que aconteceu em sua vida no ano passado, não importa o quanto tenha sido desafiador, deve ajudá-la a se lembrar de que nosso Pai celestial nos pede para lançar todas as preocupações sobre Ele. Ele nunca nos deixará nem nos abandonará. Ao iniciar este ano, que não nos esqueçamos de que o Pai celestial nos ama e cuida de nós. Peçamos a Deus que nos dê a força que precisamos para enfrentar os desafios que surgem em nosso caminho. Não importa o quanto a vida possa ser difícil, Ele está pronto a nos ajudar. Você permitirá que Ele a guie no caminho da confiança e da justiça no início deste ano? Ele ficará feliz em caminhar com você.

Taniesha Robertson-Brown

02/01/19

🌸 Bom dia Mulher 🌸O Ano que eu Nunca Esquecerei.

Publicado por Adventistas Sul em Sexta-feira, 21 de dezembro de 2018


SEJA LUZ – 03 DE JANEIRO 2019

Antes de clamarem, Eu responderei. Isaías 65:24

Ora hora de sair para a reunião de oração de quarta-feira à noite. Miguel, meu esposo, me apressava porque ele havia prometido pegar um vizinho no caminho. Sugeri que fôssemos com meu carro porque eu precisava encher o tanque. Havia passado no posto de gasolina depois do trabalho, mas havia uma fila de carros esperando, então resolvi ir para casa. Miguel reclamou que eu sempre esperava até que a luz indicadora do tanque de gasolina no painel de bordo acendesse, antes de abastecer. Concordei em abastecer no caminho para a igreja. Miguel não seguiu a nossa rota habitual. Pisquei com a luminosidade do pôr do sol no para-brisa e comentei que “nós” havíamos cometido um erro ao fazermos aquele caminho. O trânsito estava congestionado e apenas uma faixa estava em movimento. Enquanto avançávamos, percebemos que havia um acidente à frente. Vimos uma ambulância, um caminhão de bombeiros e vários carros no acostamento. Reconheci um casal da nossa igreja em pé ao lado da estrada. E, ao lado, seu caminhão esmagado! Infelizmente, eles tiveram uma colisão traseira, e o veículo colidiu com um terceiro. Miguel rapidamente parou o carro. Descemos do veículo e corremos em direção a nossos amigos. Esses membros da igreja, um casal de idosos, estavam visivelmente abalados pelo acidente, mas não ficaram machucados. Os socorristas colocaram um colar cervical na mulher que estava em um dos veículos envolvidos, depois a transportaram para a maca. “Ela não corre risco de vida”, nos garantiram. O terceiro motorista, depois de trocar informações de contato, foi embora. Louvado seja Deus! Não podíamos ir à igreja e deixar nossos amigos esperando o caminhão de reboque. Liguei para a igreja, informando o que havia acontecido, e eles ficaram em oração. Enquanto estávamos ali, seguimos o conselho da Bíblia e rendemos graças a Deus (1Ts 5:18). Começamos a cantar e louvar ao Senhor pelo cuidado com todos os envolvidos no acidente. Recitamos o Salmo 100 e compartilhamos histórias sobre a bondade de Deus até o caminhão de reboque chegar. No processo, testemunhamos para os atendentes da ambulância, para o motorista do caminhão de reboque e para os policiais que ainda estavam no local. Não importam as circunstâncias, seja luz e procure iluminar qualquer local escuro em que você se encontre.

Sharon Long Brown

https://www.facebook.com/AdventistasSul/videos/581843188905784/?t=6


MUITO MAIS DO QUE PEDIMOS OU SONHAMOS – 04 DE JANEIRO 2019

Porque sou Eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o SENHOR, planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro. Jeremias 29:11

Algum tempo atrás, meu marido e eu decidimos deixar currículos em uma cidade pequena. Oramos a respeito e pedimos a Deus que nos mostrasse aonde deveríamos ir. Concordamos em fazer os exames de qualificação. Se um de nós fosse aprovado no exame e recebesse uma função, venderíamos nossa casa e nos mudaríamos para a cidade. O empregador me informou que eu havia sido selecionada como a principal candidata. Aceitei o emprego. Deus resolveu tudo. Havia apenas um problema: as casas na nova cidade eram bem mais caras. Mesmo com o dinheiro da venda de nossa casa, seria impossível comprar uma casa ali. Oramos pela solução daquele problema. Olhamos várias casas durante aquele período. Tudo parecia dar errado. Reivindiquei as promessas do Pai celestial; afinal, acreditávamos que a mudança era a vontade Dele. Meu marido então me falou de uma casa que ele tinha visto em uma estrada de terra, mas não me interessei. À noite, antes de ir para a cama, orei a Deus. Naquela noite, sonhei que eu estava numa casa semelhante à que nossos amigos viviam. No sonho, a porta da frente estava do lado contrário da casa real dos nossos amigos. No sonho, perguntei à minha amiga por que ela havia mudado a porta de lugar. Ela sorriu e disse: “Esta casa não é minha. É sua”. No dia seguinte, fomos novamente procurar uma casa. Como estávamos perto da casa que meu marido já tinha visto, eu disse que estava disposta a dar uma olhada. Para minha surpresa, parecia a mesma casa do meu sonho! – Esta é a nossa casa – eu disse ao meu marido. Ele olhou para mim, assustado. Expliquei que Deus havia me mostrado aquela mesma casa em sonho na noite anterior. Chamamos o agente imobiliário e fechamos o negócio, que só foi possível pela graça de Deus. Até hoje, eu me emociono cada vez que lembro como Deus nos dá muito mais do que pedimos ou sonhamos. Obrigada, Senhor!

Nilva de F. Oliveira da Boa Morte


EU SALVAREI SEUS FILHOS – 05 DE JANEIRO 2019

Será que se pode tirar o despojo dos guerreiros, ou será que os prisioneiros podem ser resgatados do poder dos violentos? Assim, porém, diz o SENHOR: Sim, prisioneiros serão tirados de guerreiros, e despojo será retomado dos violentos; brigarei com os que brigam com você, e seus filhos, Eu os salvarei. Isaías 49:24-26

O sol mal tinha se posto na sexta-feira, e eu levava meus quatro filhos para a cama. Meu coração estava pesado. Muito pesado para aguentar o barulho e a atividade deles por mais tempo! Assim que tudo ficou em silêncio, me joguei no sofá e caí em prantos. Meu marido estava ausente em uma viagem de sete semanas, e educá-los sem a ajuda dele era muito difícil. Quando se aproximava o fim da sexta semana, o desânimo me cobriu como um cobertor pesado. Tudo o que eu conseguia ver eram as falhas de meus filhos – briga, choro, provocação e desobediência – eles eram tão malcriados! Agora, com lágrimas rolando pelo meu rosto, implorei a Deus que falasse comigo. Olhe para os meus filhos, Senhor! Eles nunca irão para o Céu assim! Não há esperança para eles! Nem para mim! Olhe para mim! Eu sou um fracasso como mãe, e não consigo nem salvar a mim mesma, muito menos meus filhos! Abracei minha Bíblia desesperadamente. Fale comigo! Por favor, fale comigo! Nenhum de nós tem esperança, e preciso ouvir Sua voz! Abri a Bíblia, procurando… não sei o quê. Meus olhos caíram imediatamente nestas palavras: “Será que se pode tirar o despojo dos guerreiros, ou será que os prisioneiros podem ser resgatados do poder dos violentos? Assim, porém, diz o Senhor: ‘Sim, prisioneiros serão tirados de guerreiros, e despojo será retomado dos violentos; brigarei com os que brigam com você, e seus filhos, Eu os salvarei’” (Is 49:24-26). Eu salvarei os seus filhos. Exatamente as palavras que meu coração ansiava ouvir. A resposta para o maior peso no meu coração. Fiquei em paz. Ele salvará meus filhos! Ele prometeu! É o trabalho Dele, não o meu. Nunca foi meu. Claro, não posso salvar meus filhos, nem a mim mesma. Somos completamente dependentes Dele, e Ele prometeu nos salvar. A alegria encheu meu coração. Eu queria gritar, rir e cantar. Deus falou comigo. Ele ouviu meu clamor. Ele me respondeu! Ele conhece a angústia do meu coração. Ele me ouviu e respondeu. Ele realmente me ama. Podemos confiar nossos filhos a Ele.

Patsy Arrabito


REFLEXÃO A PARTIR DE UMA TEIA – 06 DE JANEIRO 2019

Estou fazendo novas todas as coisas! Apocalipse 21:5

De todas as coisas maravilhosas que espero ver no Céu, as aranhas não estão em minha lista. Há pessoas fascinadas por elas, e sei o bem que elas fazem. Cada aranha consome cerca de dois mil insetos por ano, e eu as valorizo pela parte que desempenham para impedir que esses insetos dominem o mundo. Tudo bem esses aracnídeos viverem no meu quintal. Só não gosto que eles acampem na minha casa. Apesar da minha aversão às aranhas, admito que Deus tem um propósito especial para elas, como para todas as Suas criaturas. Ao observá-las, aprendi algo que me ajudou em tempos difíceis – tempos em que eu só queria desistir. Se você já viu uma aranha construindo uma teia, notou a persistência para concluir o trabalho. Ela constrói essa peça de arquitetura como se sua vida dependesse disso – porque depende; sem a teia, não há jantar. Com precisão e paciência, essa pequena criatura continua a tarefa até terminar. Se uma chuva pesada destruir a teia, a aranha espera a tempestade passar. Não importa o cansaço, ela começa a reconstrução. Como a maioria das pessoas, experimentei tempestades em minha vida. Quando são curtas, como trovoadas, faço o melhor que posso e reorganizo meu dia. Mas, quando a tempestade parece um furacão, ela arrasta meus planos, minhas esperanças e meus sonhos. É aí que me lembro da humilde aranha. Ela espera que a tempestade passe e começa a reconstruir sua teia. É tentador pensar que a aranha pode, de modo simples, construir uma nova teia, enquanto o recomeço para mim é bem mais complicado. Pode ser verdade. A diferença é que a aranha não desiste. Ela não desiste até ter uma nova teia. Se o Senhor equipa a humilde aranha com força e motivação para reconstruir depois de perder tudo, imagine que coisas maravilhosas Ele pode fazer por você e por mim quando uma crise nos submerge como uma inundação. Tudo o que precisamos fazer é pedir. Você está passando por alguma tempestade ultimamente? Qualquer que seja o dano causado, Deus não quer que você desista. Ele está sempre por perto. Especialmente durante as tempestades da vida.

Márcia Mollenkopf


DEUS AGE DE MODO MISTERIOSO – 07 DE JANEIRO 2019

O SENHOR […] me conduz a águas tranquilas. Salmo 23:1, 2

Aguardava com expectativa para me unir ao meu esposo, que servia como missionário na Libéria. As pessoas com quem ele havia combinado para eu acompanhar na viagem partiram sem me avisar. Enquanto aguardava o Senhor resolver as coisas, eu sonhava em voar para algum lugar com seringais. Eu também sonhava em ter um filho num lugar bem florido. No trabalho, eu fui convidada a viajar com outras senhoras para cozinhar para os nossos soldados. Fui impressionada: “Não aceite”. Então, recusei. Ao chegar em casa naquela tarde, uma voz me disse: “Vá buscar água”. Eu fui. Novamente a voz disse: “Deite-se”. Deitei e, cerca de uma hora depois, a voz me disse: “Vá tomar banho”. Ao levar o balde de água para o banheiro, vi um homem no corredor segurando a bagagem. Para minha surpresa, era meu esposo, que tinha vindo da Libéria me buscar para acompanhá-lo no serviço missionário. – O veículo que me deixou em casa desapareceu depois que peguei minha bagagem – ele me disse. – Viajou mais de quatrocentos quilômetros sem parar. Meu pai tinha sentimentos mistos sobre nossa partida, mas ele disse que oraria por nossa segurança. Entramos numa embarcação no mesmo porto marítimo onde, mais cedo, o veículo misterioso tinha apanhado meu esposo. Enquanto estávamos em alto-mar, um navio de guerra inimigo nos avistou. De repente, as marés impossibilitaram que o navio maior nos alcançasse. Nossa pequena embarcação escapou e chegou ao último porto marítimo, em Biafra. Os passageiros do próximo barco que chegou nos disseram que o navio de guerra os havia capturado. Por causa dos muitos estrangeiros a bordo da embarcação menor, a tripulação do navio maior libertou a todos numa embarcação que passava por ali. Na parada no porto, os soldados que revistaram nossa bagagem nos deram permissão para navegar. Novamente, foi pela graça de Deus, porque em duas horas o mesmo navio de guerra chegou a esse mesmo porto! Embarcamos em um avião em Duala, Camarões. Então, chegando ao aeroporto Roberts Field, na Libéria, vi seringais parecidos com os do meu sonho. Em menos de um ano, viajamos para os Estados Unidos da América. Adorei as belas flores do lugar, e ali meu filho nasceu. O Senhor é fiel. Você tem uma montanha em sua vida? Lembre-se de que Deus pode removê-la.

Margaret Obiocha


INTERRUPÇÕES DIVINAS – 08 DE JANEIRO 2019

Porque sou Eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o SENHOR, planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro. Jeremias 29:11

Eu tinha planos. Terminaria a pós-graduação num prazo determinado. Viajaria para a Europa como recompensa por todo o trabalho árduo e o sacrifício que eu havia feito na escola. E, então, procuraria o trabalho dos meus sonhos. Eu estava seguindo os planos direitinho… Até que não foi mais possível. As interrupções vieram uma após a outra. Meu coração estava partido. Eu não continuaria o programa de pós-graduação no ritmo esperado. E não me formaria no tempo que prometi aos meus amigos e à minha família. E nem sabia mais qual era o trabalho dos meus sonhos. A Bíblia relata períodos na vida das pessoas em que elas se sentiram “interrompidas” também. Muitas vezes, naqueles momentos de aparente interrupção, Deus estava preparando para algo – grande! Tome como exemplo Simão Pedro. Ele estava cuidando das coisas dele – lavando a rede depois de pescar. Então, vem Jesus: “Leve o barco para um lugar onde o lago é bem fundo. E então você e os seus companheiros joguem as redes para pescar” (Lc 5:4, NTLH). Pedro trabalhou a noite toda e não pegou nada. No entanto, ele obedeceu à ordem de Jesus e pegou muitos peixes. Foram tantos os peixes que as redes começaram a rasgar! Então Jesus apresentou o que seria o início da nova vida de Pedro: “Não tenha medo. De agora em diante, você vai pescar gente” (verso 10, NTLH). Pergunte à mulher no poço (Jo 4) sobre sua interrupção. Ela estava apenas fazendo o trabalho habitual de buscar água. Mas Jesus sentou ali – um judeu pedindo água a uma samaritana. Começaram a conversar. Ela deixou o jarro de água e voltou para a aldeia dizendo: – Venham ver um homem […]. Será que Ele não é o Cristo? (Jo 4:29). Deus aparece no meio de nossas tarefas mundanas ou carregadas de adrenalina com uma interrupção divina que muda o curso de nossa vida de maneiras significativas – e para sempre. Essas interrupções podem ocorrer sob a forma de uma grande interferência ou uma convicção silenciosa. Nesses momentos, por mais difícil que pareça, devemos simplesmente confiar e obedecer, sabendo que Deus está planejando algo! Ele tem pensamentos de paz e não de mal para nós.

Estejamos abertas a aceitar as interrupções divinas, porque Deus quer que prosperemos (o que quer que signifique para cada uma de nós) e também deseja nos usar para promover a causa de Seu reino.

Stacey A. Nicely


DEPENDENDO DE DEUS – 09 DE JANEIRO 2019

Mas bendito é o homem cuja confiança está no SENHOR, cuja confiança Nele está. Jeremias 17:7

O coração da jovem se agitou de entusiasmo! Seus olhos castanhos brilhantes não conseguiam absorver a beleza e a opulência do palácio real. Ela cresceu com uma dor inimaginável, ao perder os dois pais quando era muito jovem. Toda a segurança conhecida foi repentinamente arrancada dela até que a mão solidária de seu primo alcançou seu sofrimento e ofereceu-lhe um lugar em sua casa. Mardoqueu cuidou da jovem Ester, sua prima, com respeito e amor. Ele deu a ela o melhor que tinha. Alimentos nutritivos promoveram sua aparência feliz. Mardoqueu a ensinou a amar e a confiar em Deus. Isso deu paz interior a Ester, e essa paz era vista em seus olhos suaves e em seu sorriso intenso e genuíno. Alguns anos depois, Ester havia amadurecido e se tornado uma jovem linda, equilibrada e bem formada. Foi nessa fase da vida que a beleza dela chamou a atenção dos olheiros do rei. Ester foi levada para a residência real, onde competiria para ser a nova rainha. A aparência e a disposição agradável de Ester não passaram despercebidas. O guardião das mulheres ficou tão atraído por Ester que, em pouco tempo, não conseguiu esconder seu favoritismo. Ele a direcionou para a melhor parte da casa durante o ano de preparação. Você consegue imaginar um ano inteiro para se regalar com massagens de óleo e banhos de leite, ou quaisquer que fossem os tratamentos de beleza que a realeza persa usava? Tudo certo! Ester foi coroada a nova rainha da Pérsia. Com o passar do tempo, a vida de seu primo Mordecai, de honrar a Deus, irritou profundamente o chefe principal, Hamã. Esse homem planejou matar todos os judeus. Mardoqueu colocou o fardo de salvar seu povo nos ombros de Ester. O que essa jovem rainha fez? Orou! Jejuou! Convidou amigos para jejuar e orar com ela. Dependeu totalmente de Deus para ter sabedoria e elaborar um plano. E o Senhor assim o fez. Seja qual for a nossa história de vida e os desafios que enfrentamos, o Solucionador de Problemas ainda está no trono com soluções que nem podemos imaginar. A história de Ester nos ajuda a perceber que Deus nos dá oportunidades – mesmo para mulheres improváveis em lugares improváveis – para ver Sua libertação enquanto dependemos Dele para ter sabedoria e demonstramos uma fé viva Nele!

Roxy Hoehn


SAFÁRI – 10 DE JANEIRO 2019

Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a Minha mão direita vitoriosa. Isaías 41:10

Era 1977. Com outras duas famílias missionárias e amigos do Quênia, saímos num safári que incluía um passeio de barco no rio Nilo Vitória, no noroeste de Uganda. O Parque Nacional Murchison Falls, também conhecido como Parque Nacional Kabalega Falls, é o maior parque de Uganda. Era um dia perfeito para um cruzeiro. A paisagem era linda. Os crocodilos ficavam na margem do rio com a luz do sol. À medida que o barco se aproximava da costa, algumas dessas criaturas magníficas deslizavam lentamente para a água e observavam cada movimento nosso. Outros crocodilos permaneciam ali com a gigantesca boca aberta para relaxar enquanto os pássaros limpavam os seus dentes. Os hipopótamos que pastavam nas proximidades correram para as profundidades turvas do Nilo, apenas para emergir com seus enormes corpos fazendo ondas que abalavam nosso pequeno barco. Do outro lado do rio, um búfalo solitário nos observava. Repentinamente, o motor do barco estalou e, então, silêncio. O capitão tentou ligar o motor, mas foi inútil. Lá estávamos, à deriva entre as grandes criaturas do rio. Num ato heroico, o capitão conduziu o barco para a parte rasa do rio. Apesar do perigo ao redor, ele caminhou para a costa e correu para pedir ajuda. Pareceu uma eternidade, mas ele finalmente voltou e reparou o motor. Estávamos a caminho para ver Murchison Falls. As quedas eram uma exibição de poder de tirar o fôlego. No topo das quedas, o rio de 50 metros de largura estreitava seu caminho com extraordinária força através de uma fenda de seis a sete metros nas rochas, numa queda em uma piscina embaixo. A partir daí, continuava seu fluxo, dividindo a savana africana no caminho para o Mar Mediterrâneo. Eu saí dessa experiência sabendo que, na vida cristã, o Capitão do meu barco nunca me deixará vagar impotente entre as grandes “criaturas” deste mundo e futuro incerto. Ele não me abandonará aos perigos dos rios que esperam para me destruir.

Evelyn Porteza-Tabingo


SECRETÁRIA – 11 DE JANEIRO 2019

“Porque sou Eu que conheço os planos que tenho para vocês”, diz o SENHOR, “planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.” Jeremias 29:11

Crescer durante o final da década de 1950 no sul do Oregon foi um desafio para meus irmãos e para mim. Nossos pais tinham uma empresa de atacado, e seu negócio “em expansão” não estava crescendo mais! Eles estavam comprometidos em fornecer uma educação cristã para nós. Apesar de todos nós trabalharmos duro, era cada vez mais difícil pagar as mensalidades. Sempre planejei obter uma educação universitária; mas, durante o segundo ano da faculdade, conheci e me apaixonei por um jovem que estava pronto para começar sua carreira. A segurança financeira foi muito atraente para mim. Então abandonei a faculdade, e nos casamos no verão. Fiz vários cursos, ensinei economia doméstica durante um ano, tinha meu próprio negócio, mas nunca obtive o diploma universitário que sempre foi o desejo do meu coração! Deus tinha outros planos. Avanço rápido até a década de 1980. Mudamos com a família para a encosta da Califórnia Central. Eu continuava ocupada criando nossa família, dirigindo o clube de Desbravadores e trabalhando como secretária e escriturária na escola mais próxima. Trabalhei ali catorze anos para garantir que nossos filhos tivessem uma educação cristã. Adorava os estudantes da escola. Durante aqueles anos, eu fui uma segunda mãe para muitos deles. Recentemente, April, cujo pai era professor na escola, contou-me que eu impactei a vida dela durante seus anos de crescimento, e sua maior ambição era se tornar uma secretária da escola como eu. Ela já havia feito aulas de contabilidade para se qualificar melhor. Apesar de sentir que ainda não estava na hora, April quis compartilhar seu sonho comigo para que eu orasse por ela. Pouco depois, derramei lágrimas de gratidão ao saber que April tinha sido contratada para ser secretária no mesmo escritório onde eu a havia inspirado fazia muitos anos. Fico maravilhada por Deus ter me usado, mesmo que eu não me sentisse qualificada na época. Deus me mostrou que eu não precisava de um diploma para tocar a vida de outros para Ele. Deus só precisa de um coração disposto a fazer o melhor que puder onde Ele o colocar. Que Deus use cada uma de nós para fazer a diferença para Seu reino!

Nadine Parker Proctor


QUE AMIGO TEMOS EM JESUS – 12 DE JANEIRO 2019

Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor faz. Em vez disso, Eu os tenho chamado amigos, porque tudo o que ouvi de Meu Pai Eu lhes tornei conhecido. João 15:15

Tive muitos amigos durante toda a minha vida: amigos de infância, amigos de escola, amigos de faculdade, amigos no trabalho, melhores amigos, e a lista continua… Para a maioria de nós, os amigos vêm e vão. As circunstâncias da vida podem nos roubar dos bons amigos. As pessoas que considero minhas melhores amigas não moram perto de mim. Eu sempre ligo; mas, às vezes, elas não estão disponíveis ou estão enfrentando problemas. Então eu me sinto isolada do apoio emocional e espiritual que preciso. O conhecido hino diz: “Oh! que amigo em Cristo temos! / Mais chegado que um irmão! / Quer que tudo nós levemos / Ao bom Deus em oração” (Hinário Adventista, 420). Essa estrofe é apoiada pelo texto de hoje, que nos diz que Jesus nos chama de amigos – o que O torna nosso amigo. Provérbios 18:24 nos lembra que temos um amigo “mais apegado que um irmão”. Esse amigo é Jesus. Há momentos em que meu Amigo Jesus cuida de mim por intermédio de um amigo terreno – um abraço, palavras de encorajamento e amor. Mas há momentos em que Ele mesmo me atende: por meio de Sua Palavra, de um hino, canção ou a presença reconfortante do Espírito Santo. Em momentos de perda em minha vida, quando ninguém entendia, meu Amigo Jesus entendia e confortava meu coração. O hino continua dizendo: “Oh! que paz perdemos sempre, / Oh! que dor de coração! / Só porque não recorremos / ao bom Deus em oração!” Quantas vezes lutei com problemas? Lutei e perdi? Quantas vezes senti que poderia lidar com uma situação e depois falhei? Temos um Amigo que está sempre perto e disposto a tomar nossos problemas e a nos dar uma doce paz, para enfrentar as provas da vida. Ele nos chama de amigos. Que privilégio chamar o Filho de Deus de nosso amigo! Hoje, você pode enfrentar uma aflição e sentir que está sozinha. Separe um momento para se aproximar de Jesus, o Amigo que está mais perto do que qualquer outro amigo que você possa ter. O único Amigo que nunca falha, nunca vai embora e está sempre pronto a ajudar.

Heather-Dawn Small


ELE ME GUIA! – 13 DE JANEIRO 2019

O SENHOR ouviu vocês reclamando contra Ele. Êxodo 16:8 (NTLH)

Todos os dias eu viajo cerca de 113 quilômetros até o trabalho. Em um dia com tempo bom em Michigan, a viagem dura cerca de 45 minutos a uma hora. Em dia com neve ou nevoeiro, a viagem pode levar de uma hora e quinze minutos a quase duas horas. Geralmente tenho que acordar às 4h15 cada manhã. No inverno, frequentemente me queixo ao Senhor: Não sei por quanto tempo eu aguento! Ao longo do tempo percebi que eu saía irritada de casa todas as manhãs. Saía da garagem às 6h30 e percebia que meus vizinhos ainda estavam aconchegados em suas camas quentes. Ter que cavar meu carro para fora de vários centímetros de neve enquanto todos dormiam também me chateava. Eu estava descontente com meus colegas que moravam a apenas dez ou quinze minutos do trabalho e ainda se queixavam de estarem cansados pela manhã. Lembrei-me da história bíblica de Ezequias, que pediu uma vida mais longa. Também me lembrei da parábola do filho pródigo, que exigiu sua herança. Deus concedeu os dois pedidos, embora o descontentamento desses homens tenha ocasionado dor. Então implorei ao Pai que não me deixasse por minha conta. Meditei em 1 Coríntios 3:19: “A sabedoria deste mundo é loucura aos olhos de Deus.” Implorei ao Espírito de Deus para me ajudar a honrar Sua Palavra para que eu não fosse enganada pelo inimigo por causa de meus desejos egoístas. Eu não podia confiar minha vida em minhas próprias mãos. Reivindiquei o Salmo 23:3: “Guia-me nas veredas da justiça por amor do Seu nome” e me imaginei como uma garotinha andando de mãos dadas com meu Salvador. Certamente eu não serei enganada. Confiei em Sua liderança. Ele me conduz nos caminhos da justiça. Murmurar é uma forma de desrespeitar o poder de Deus. Eu estava negando minha crença em Sua orientação e Seu poder para me sustentar na estrada para onde Ele me conduzia. Eu me queixava com o Doador do meu maravilhoso presente: um trabalho. Pai, entrego a Ti, hoje, o meu problema em relação a um espírito de queixa e descrença. Perdoe-me por mostrar ingratidão pelas bênçãos que tens me dado.

Shanter H. Alexander


SEU AMOR INFALÍVEL – 14 DE JANEIRO 2019

O SENHOR é compassivo e misericordioso, mui paciente e cheio de amor. Salmo 103:8

Eu estava passando por uma fase muito difícil. Aqui estava eu, uma viúva de quarenta e dois anos com um filho de dez. Meu esposo, sem ter problema de saúde, foi dormir e não acordou. Fiquei devastada. Não conseguia conter as lágrimas. Parecia que eu estava sempre chorando. Onde estava Deus? Por que Ele permitiu que isso acontecesse? Eu estava muito brava com Deus. Perdi o interesse de ir à igreja, ler a minha Bíblia e orar; meu coração não estava em nada disso. Meu coração estava em desordem. Por que Deus, sendo tão amoroso, havia permitido que isso acontecesse com minha família? Uma noite, enquanto andava pela sala de estar colocando as coisas no lugar e desligando as luzes, chorei convulsivamente: Deus, realmente me amas? Eu tinha dúvidas. Deus, onde estás em meio a toda essa dor? Quando subi as escadas, ouvi uma voz audível: – Abra a porta da frente. – Parei e olhei ao redor. Eu era a única pessoa na escada. Dei outro passo. – Abra a porta da frente – disse a voz outra vez. Dessa vez parei e disse em voz alta: – Sim, certo. Por que eu deveria Te ouvir? Tu não me amas. Não Te importas comigo. Se Te importasses, por que Tu levarias meu esposo? – Desafiadoramente, dei outro passo. Dessa vez, a voz soou mais urgente: – Abra a porta da frente! – OK, Senhor – eu disse. – Se Tu queres que eu abra a porta, vou abrir. Desci a escada, caminhei até a porta da frente e abri. Olhando para baixo enquanto eu fazia isso, vi minhas chaves – ainda do lado de fora da porta. Eu tinha deixado minhas chaves lá fora! Fiquei ali, trêmula. – Senhor! – chorei. – Tu me amas. Tu realmente Te importas comigo! E se eu tivesse ido dormir com as chaves da porta da frente lá fora? Estremeço ao pensar o que poderia ter acontecido. Inclinei a cabeça e pedi a Deus que me perdoasse por duvidar do Seu amor por mim e que me ajudasse a confiar Nele. Assim começou minha cura! Alegro-me em saber que Jesus sempre estará comigo. Ele sempre vai me proteger e me manter segura em Seu amor. Podemos confiar Nele para fazer o mesmo em nossa vida.

Jannett Maurine Myrie


DEPOIS DA PARÁBOLA – 15 DE JANEIRO 2019

Mas um samaritano, estando de viagem, chegou onde se encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele. Aproximou-se, enfaixou-lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele. Lucas 10:33, 34

Você já pensou sobre o que aconteceu na história do bom samaritano – depois da parábola? Já se perguntou como o altruísmo e a bondade do samaritano mudaram a vida do ferido? A menos que o homem ferido fosse transformado pela graça, ele teria se afastado com vergonha e constrangimento na próxima vez que encontrasse o samaritano em público. Não porque ele não apreciasse o que o samaritano havia feito, mas porque ele era muito orgulhoso para arriscar a perda de prestígio que o reconhecimento público poderia trazer. Percebi que é possível ser tocada pela graça, mas não ser transformada por ela. O judeu ferido foi tocado, literalmente, pelo cuidado que veio diretamente do coração do bom samaritano. Mas o judeu não teve que sacrificar o orgulho para receber o cuidado. Foi livremente concedido enquanto ele estava muito ferido para aceitá-lo ou rejeitá-lo. No entanto, uma vez recuperado, o judeu podia escolher como responder à bondade do samaritano. Se o coração dele não fosse transformado pela graça, haveria uma boa chance de que ele não reconhecesse o seu benfeitor – pelo menos, não publicamente. Imagino que, ao longo do tempo, o judeu pode ter ficado bastante endurecido pelo orgulho para argumentar que, de certo modo, o incidente fez um favor ao samaritano, permitindo que ele ajudasse um dos escolhidos de Deus. Ele pode ter racionalizado todo o incidente para que não tivesse qualquer obrigação com alguém que arriscou a vida para salvar uma pessoa que o desprezava. Você acha que nunca seria culpada de algo assim? Olhe para dentro de si, e você talvez pense de forma diferente. O orgulho está em todos nós e, salvo o milagre da graça, em algum momento ele pode fazer com que nos desviemos com vergonha, talvez até de alguém que nos tenha ajudado a nos tornar quem somos. Isso porque o beneficiário da graça não muda você automaticamente. Você precisa escolher ser transformada. Então, da próxima vez que você se sentir envergonhada por ter feito algo a alguém, lembre-se da história que pode ter acontecido após a parábola do bom samaritano: o judeu recuperado e o samaritano rejeitado.

Rachel Williams-Smith


IMAGENS – 16 DE JANEIRO 2019  

Aos olhos dos israelitas a glória do SENHOR parecia um fogo consumidor no topo do monte. Êxodo 24:17

O sol estava raiando naquele dia frio de janeiro, quando minha filha e eu descíamos a montanha. O céu mantinha tons brilhantes de rosa, violeta, laranja, lavanda e roxo. As nuvens estavam emplumadas como se um artista as tivesse pintado. Paramos para tirar fotos daquela arte deslumbrante, mas elas eram um triste reflexo da beleza que víamos. A clareza e a intensidade das cores duraram tanto tempo que, mais abaixo da montanha, paramos de novo, tentando capturar a beleza do momento. Nossas fotos estavam um pouco melhores dessa vez, mas ainda não refletiam o que víamos. Essa experiência nos demonstrou o grandioso Senhor e Salvador, Jesus. Como devemos ser imagens Dele aqui neste planeta? Muitas vezes, o reflexo que apresentamos Dele ao mundo é sombrio e embrutecido, não manifesta o resplendor completo de Sua glória. Como posso eu, uma pecadora, refletir o Salvador em minha vida para que os outros consigam vê-Lo? Quando orei e perguntei ao Senhor sobre isso, minha mente foi levada a Moisés. Ele passou quarenta dias e noites com Deus no Monte Sinai. Quando desceu, seu rosto brilhava tanto que as pessoas tiveram medo dele. “Ao descer do monte Sinai com as duas tábuas da aliança nas mãos, Moisés não sabia que o seu rosto resplandecia por ter conversado com o Senhor. Quando Arão e todos os israelitas viram Moisés, com o rosto resplandecente, tiveram medo de aproximar-se dele” (Êx 34:29, 30). Esse é o segredo para refletir Jesus aos outros – passar tempo de qualidade com Ele. Quero ser uma imagem melhor e refletir Aquele que deu tudo por mim! Imagine a beleza deste mundo se fôssemos imagens de Jesus e refletíssemos apenas um pouco de Sua glória. Uau! “Levante-se, refulja! Porque chegou a sua luz, e a glória do Senhor raia sobre você. Olhe! A escuridão cobre a terra, densas trevas envolvem os povos, mas sobre você raia o Senhor, e sobre você se vê a Sua glória. As nações virão à sua luz e os reis ao fulgor do seu alvorecer” (Is 60:1-3).

Mona Fellers


UMA FERIDA NO MEU CORAÇÃO – 17 DE JANEIRO 2019

Portanto, meus irmãos, a quem amo e de quem tenho saudade, vocês que são a minha alegria e a minha coroa, permaneçam assim firmes no Senhor, ó amados! Filipenses 4:1

Depois de trabalhar como missionários na África por seis anos, chegou a hora de retornarmos à nossa terra natal, na Alemanha. Foi uma experiência maravilhosa, embora difícil, às vezes. Aprendemos muito. Estávamos ansiosos para ver familiares e amigos, mas era difícil deixar a África e os amigos africanos. Dirigi o coro dos jovens da igreja. Mostrei às mulheres da igreja como costurar roupas para seus bebês. Levei flautas e ensinei as crianças a tocar esses instrumentos musicais. Tínhamos uma missão em comum com nossos colegas de trabalho com quem queríamos proclamar o evangelho às pessoas da África Central. E agora estávamos arrumando nossos pertences e retornando ao nosso país de origem! Passamos as últimas noites na pousada da Missão, já que os substitutos já haviam mudado para a nossa antiga casa. Em nossa última manhã em Bangui, membros da igreja foram até a pousada para se despedir. Os jovens que cantavam no coral foram me ver. Nós nos abraçamos e choramos. Era como se um pedaço tivesse sido arrancado do meu coração. Tivemos uma escala noturna em Paris, e quase não dormi porque a ferida no meu coração estava sangrando. Ouvi a voz chorosa deles repetidamente, e desejei tê-los em meus braços. Poucos anos depois, um destaque da Missão da África foi mostrado na igreja. Um coral estava cantando. Quando ouvi as vozes africanas cantando para a glória de Deus, meu coração começou a sangrar novamente. As lágrimas brotaram em meus olhos quando me lembrei de meus amigos. A ferida no meu coração ainda está aberta. Parece que o apóstolo Paulo também teve uma ferida no coração. Escrevendo à igreja em Filipos, ele disse que desejava ver seus irmãos na fé. Ele os chamou de coroa e alegria. Eles foram sua recompensa por todo o trabalho árduo. O apóstolo os encorajou a permanecer firmes no Senhor. Ele não esperava vê-los novamente (escreveu da prisão em Roma), mas sabia que haveria uma grande reunião no retorno de Cristo se todos permanecessem fiéis a Deus. Quando Jesus voltar, teremos uma grande celebração, e nosso coração dilacerado será curado. Então, a ferida no meu coração também será fechada para sempre. Estou ansiosa por esse dia.

Hannele Ottschofski


AQUECENDO O AQUECEDOR – 18 DE JANEIRO 2019

Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em Mim e Eu nele, esse dá muito fruto; pois sem Mim vocês não podem fazer coisa alguma. João 15:5

Quando meu esposo, Al, está trabalhando, ele permanece em um trailer perto do trabalho. Durante o inverno, ele usa aquecedores portáteis para aquecer seu espaço. Ele teve muitos tipos diferentes de aquecedores, mas um deles tem sido sua pequena e fiel fonte de calor. Um inverno, ele conseguiu um segundo aquecedor, mais eficiente, para ajudar. Certa manhã, ele notou que o aquecedor mais antigo não estava aquecendo como costumava fazer. Ele verificou se estava começando a enfraquecer devido ao longo tempo e muito uso. Durante a inspeção, descobriu que os aquecedores estavam próximos. O aquecedor mais novo estava soprando na direção do aquecedor mais antigo. Portanto, o aquecedor mais antigo não teve que trabalhar tanto para manter as coisas quentes porque seu sensor estava “lendo” o calor emitido pelo segundo aquecedor. O aquecedor mais antigo estava funcionando bem e emitindo apenas a quantidade de calor que era necessária. No verso de hoje, Jesus nos diz que, se formos um ramo em Sua videira, estaremos ligados a uma fonte vitalizante que nos fará crescer e produzir bom resultado. Se somos cortados, somos apenas isso – cortados. Já não temos uma conexão para nos ajudar a crescer e desenvolver. Vejamos as últimas palavras de Jesus neste texto: “Sem Mim, vocês não podem fazer coisa alguma”. Tantas vezes queremos fazer as coisas por nós mesmos, como uma criança aprendendo algo novo! No entanto, procurar alguém que nos ajude ao longo da jornada é uma maneira melhor de aprender o que precisamos. Estar conectado a uma fonte de energia pura tem vantagens! Assim como o segundo aquecedor estava fornecendo uma fonte de calor, o primeiro aquecedor fez o que seus sensores “disseram” para fazer. Estamos totalmente conectados e cooperamos com Cristo, como o aquecedor mais antigo fez com o mais novo? Se assim for, estamos recebendo o amor vivo de Jesus para espalhar aos que nos rodeiam. Quero iniciar cada dia conectando-me à fonte de energia pura, Jesus. Quero trabalhar com Ele, viver em Sua presença e aprender plenamente as lições que Ele tem para mim. Quando eu O convidar para o meu dia, Jesus não apenas me guiará e ensinará, mas Ele estará comigo, então não falharei. Se, por acaso, eu falhar, mas confessar e voltar para Jesus, Ele encontrará maneiras de me curar, confortar e ensinar. Porque sem Ele, não posso fazer nada. Que bênção estar conectada à fonte de energia do Céu!

Mary E. Dunkin


AMOR INCONDICIONAL – 19 DE JANEIRO 2019

O SENHOR lhe apareceu no passado, dizendo: “Eu a amei com amor eterno; com amor leal a atraí.” Jeremias 31:3

Encontrei minha avó materna apenas uma vez, quando eu tinha quatro anos de idade. Viajei com minha mãe e quatro dos meus cinco irmãos de Barbados para Dominica para conhecê-la. Minha mãe e minha avó viveram separadas por muitas razões, incluindo a pele escura da minha mãe, que era muito diferente da pele dos irmãos e da mãe dela. No entanto, o maior motivo para a separação foi a situação econômica do meu pai. Sua falta de riqueza não atendeu ao padrão da minha avó. Ele era do “lado errado da cidade”. Depois de vários meses em Dominica, voltamos para Barbados. Minha avó rejeitou minha mãe, sua filha mais velha, e nunca mais vimos ou ouvimos da minha avó novamente. Cerca de dez anos depois, minha mãe ouviu, por meio de fofoca, que sua mãe havia morrido, deixando um centavo para ela no testamento, o último sinal de que ela tinha sido renegada. Vinte e quatro anos após a morte da minha mãe, eu reflito sobre o quanto ela amava profundamente seus filhos e sobre a dor que sofreu por ser destituída, abandonada e separada do amor da própria mãe. Neste momento silencioso, vem à mente Jeremias 31:3: “Eu a amei com amor eterno”. E também Romanos 8:38, 39: “Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus.” Como é reconfortante saber que, independentemente do que eu faço, Deus me ama. Nada me separa desse amor: nem a cor da minha pele, nem a minha situação educacional ou financeira, nem a situação econômica do meu esposo. Nada faz com que Deus me rejeite. Que amor incondicional! A minha aceitação do Seu amor me dá uma herança inesgotável. “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo! Conforme a Sua grande misericórdia, Ele nos regenerou para uma esperança viva, por meio da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança que jamais poderá perecer, macular-se ou perder o seu valor. Herança guardada nos Céus para vocês” (1Pe 1:3, 4). Meu desejo é viver uma vida cuja recompensa é a eternidade com um Deus que ama de modo incondicional.

Terry Roselmond-Moore


UMA PALAVRA FEIA – 20 DE JANEIRO 2019

Deixem vir a Mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos Céus pertence aos que são semelhantes a elas. Mateus 19:14

Foi um dia muito agradável. Estava satisfeita e feliz por estar na escola em que eu era professora substituta. Todos gostavam das lições que a professora da sala de aula regular deixou para eu seguir. Quando os alunos terminaram a tarefa, fiz uma pausa de cinco minutos e sentei. Em poucos minutos, uma aluna se aproximou, reclamando que outro aluno dissera uma palavra feia a ela. Perguntei à menina que palavra ele tinha dito. Ela respondeu: – Ele disse a palavra Deus para mim. – Fiquei surpresa e triste. Por um momento, não consegui dizer nada. No começo, eu tinha um pouco de medo de mencionar a palavra Deus – temia perder o emprego. Venci o medo. – Deus não é uma palavra feia – disse a ela. – É uma boa palavra. – É uma palavra feia sim – insistiu ela – porque minha mãe disse que ninguém deve dizer isso. Fiz o que pude para convencê-la de que Deus é uma boa palavra. – Eu falo com Deus o tempo todo – disse. – Ele é bom. Expliquei que Deus vive no Céu, mas Ele nos vê e ouve. No fim da conversa, ela estava bem mais calma. Não estava tão chateada como no início, quando veio reclamar sobre o incidente. Ao refletir sobre o evento desse dia, sabia que nunca o esqueceria. Senti pena dessa aluna, e sei que muitos outros acreditam que Deus é uma palavra feia – ou que Ele seja ruim. Espero ter conseguido fazê-la compreender mais sobre o nosso Deus amável, amoroso, misericordioso e maravilhoso. Alguns professores cristãos em escolas públicas são proibidos de usar o nome de Deus. Como professora cristã, creio ser meu dever para com as crianças falar com elas, como puder, sobre Deus. O Senhor prometeu cuidar dos Seus santos. Eu me lembro das palavras de Josué: “Escolham hoje a quem irão servir […]. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor” (Js 24:15). A escolha de servir a Deus depende de nós. Muitas pessoas em meu país não têm informação que oriente sobre quem é Deus ou o que Ele representa. Oro todos os dias para que os alunos vejam algo diferente em mim. Que minha vida seja um reflexo de Cristo e que outros vejam a imagem de Deus em mim. Assim, talvez eles saibam quem Ele é.

Patrícia Hines


MELHORANDO COM A IDADE – 21 DE JANEIRO 2019

Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia. 2 Coríntios 4:16

Não quero envelhecer, mas me recuso a fingir que não está acontecendo. Além disso, minha vida não começa e acaba com a existência temporal. No verso bíblico acima, Deus – por intermédio de Paulo – não nega os fatos tristes do envelhecimento e da morte. Na verdade, Ele os coloca nos termos mais gráficos e desesperadores. Imagine se a Comissão Especial dos Estados Unidos Sobre o Envelhecimento mudasse seu nome para Comissão Especial Sobre Decadência? Os idosos invadiriam a Casa Branca em massa, agitando os andadores e as bengalas, exigindo uma classificação menos depreciativa. Com esse realismo, o verso coloca os inevitáveis pontos negativos de nossa existência no contexto de uma poderosa esperança espiritual. “Nosso homem interior é renovado dia a dia”. O quê? Você quer dizer que algo em mim está melhorando em vez de piorar? Em Jesus, eu realmente melhoro com a idade, assim como a madeira de um instrumento, amaciada pelo tempo, dando-lhe uma melhor ressonância. Eu melhoro como faz uma toalha velha e surrada que absorve mais água. Eu melhoro como uma mulher de seus 57 anos que está se tornando mais semelhante a Jesus todos os dias, por meio de uma renovação interna contínua. O que é esse “homem interior” que está “sendo renovado dia a dia”? A palavra esothen (no grego) se refere à vida interior do ser humano. Jesus disse: “Pois do esothen, do coração dos homens, vêm os maus pensamentos” (Mc 7:21, NVI). A renovação do esothen, então, é a experiência de renascimento que Jesus apresentou a Nicodemos, num murmúrio, numa noite enluarada. Para melhorar “o caráter”, precisamos de uma intervenção divina direta e dramática. Devemos nascer de novo. Meu maior medo no envelhecimento não é perder a memória ou a inteligência, mas me tornar mal-humorada, indiferente, sem amor e antipática. O declínio cognitivo pode roubar de um indivíduo a habilidade de “vestir” uma boa personalidade, mas o caráter reside em um nível mais fundamental. Você não pode fingir ter um bom caráter. Mas um coração transformado dia a dia pelo Espírito Santo pode ficar suave com amor e graça muito depois que a mente decair. Eu quero essa transformação. E, quando eu não tiver 57 anos, mas 87 (se eu viver tanto tempo), talvez nos últimos estágios da demência, eu quero ser como a doce idosa que beijou sua filha e disse: “Eu não sei quem você é, mas amo você.”

Jennifer Jill Schwirzer


A ORAÇÃO DE FÉ – 22 DE JANEIRO 2019

Espere no SENHOR. Seja forte! Coragem! E espere no SENHOR. Salmo 27:14

A fé de quatro jovens hebreus nos fala em tempo de crise. Os três personagens ilustres, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, declararam sua fé no poder e na providência de Deus (Dn 3:16-18). Então o rei perseguidor viu uma quarta Pessoa, o Filho de Deus, na fornalha de fogo com os três jovens que ele jogou na fornalha por se recusarem a se curvar a outro deus. A história de Daniel na cova dos leões também inspira fé. Gostaria de entender o que a fé significa em minha vida como cristã. Às vezes, oro e nada parece acontecer. Quando leio o comentário de Cristo sobre fé como a semente de mostarda capaz de mover montanhas (Mt 17:20), anseio ter esse tipo de fé. Preciso de fé! Preciso abrir as portas do Céu, bem como as portas em meu local de trabalho, em minha família, em meus estudos e em cada decisão que tomo. Continuo orando diariamente para ter a fé que Daniel, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego tiveram. Preciso da quarta Pessoa onde quer que eu vá. Preciso de Sua ajuda para mim mesma tanto quanto para estender a mão a fim de ajudar os outros a ter fé Nele. Se tivermos fé e andarmos com Deus, seremos transformadas. Deus nos usará para atrair a Si muitos corações partidos. Pela fé, vencemos batalhas porque Ele nos arma com força para cada batalha contra o inimigo. Nossos campos de batalha serão transformados em campos de bênçãos. Pela fé, veremos obstáculos transformados em trampolins. Estas coisas acontecem quando sabemos quem somos e Quem nos segura nas palmas das mãos. Nenhum outro além de Jesus. Outra razão pela qual precisamos de fé, é para que esperemos pacientemente as respostas às orações. Eu gosto do que Davi disse ao rei Saul antes que o jovem lutasse contra o gigante Golias: “Ninguém deve ficar com o coração abatido por causa desse filisteu; teu servo irá e lutará com ele. […] Todos que estão aqui saberão que não é por espada ou por lança que o Senhor concede vitória; pois a batalha é do Senhor” (1Sm 17:32, 47). Para esses personagens bíblicos de oração, a fé foi a mão na chave que abriu portas para eles. Mas a oração sem fé é como uma chave sem mão para virá-la. Oremos com fé, como fizeram esses personagens bíblicos, e Deus também abrirá portas para nós.

Pauline Gesare Okemwa


AS BÊNÇÃOS EM MINHA VIDA – 23 DE JANEIRO 2019

O SENHOR Deus é sol e escudo; o SENHOR concede favor e honra; não recusa nenhum bem aos que vivem com integridade. Salmo 84:11

Manhã após manhã, durante meses, permaneci preocupada em relação à decisão que havia tomado, se era a correta. Quase um ano antes, terminei meu programa doutoral e escolhi não seguir a rota esperada para alguém com meu diploma. Em vez disso, trabalhei como voluntária em um ministério. O trabalho não era difícil, mas a decisão, sim. Eu não estava usando completamente meus conhecimentos ou dons, ou mesmo exercitando minha paixão. Admito, ajudar a planejar e preparar documentos estratégicos coincidiu com meus estudos, mas eu tinha um sentimento geral de insatisfação. Além disso, precisei fazer muitos ajustes quanto ao meu conforto físico. Tinha certeza de que havia muito mais a fazer, e questionava novamente a decisão que havia tomado. Eu me consolava diariamente com um pensamento: Não é sobre mim, é sobre Ele. Esse pensamento me ajudou por alguns dias, mas não preencheu o vazio quando enfrentei situações de grande desconforto. Os prazeres simples e os luxos que desfrutei estavam no passado. Os círculos sociais que eu apreciava, agora não existiam. Não tive oportunidade de fazer amigos. Minha vida parecia cercada pelo que eu estava fazendo, e, além disso, eu me sentia vazia em grande parte do tempo. Uma manhã memorável, acordei às cinco horas, como se tornou habitual nas últimas semanas. Eu queria me exercitar em uma academia, falar com alguém e fazer algo fora do normal. Durante meu momento de devoção pessoal, lágrimas rolaram porque me sentia sem propósito. Enquanto baixei minha cabeça para orar, as lágrimas molharam o sofá. Abri a boca para orar, e as palavras que saíram me chocaram. Elas não refletiam os pensamentos que eu estava abrigando: “Obrigada, Senhor, pelas bênçãos em minha vida”. O momento foi surreal. Agradeci a Deus porque, durante quase dez anos, desde que fui para a faculdade, eu havia treinado para agradecer a Ele quando as coisas não estivessem bem. Agora, as palavras do apóstolo Paulo fluíram naturalmente: “Deem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus” (1Ts 5:18). Hoje, agradeça a Deus por Suas bênçãos – mesmo pelas coisas que parecem estar trabalhando contra você. Porque, no fim de todas as coisas, Ele quer o melhor para você!

Nadine A. Joseph


NÃO SAIA – 24 DE JANEIRO 2019

E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos. Gálatas 6:9

Tenho que ser sincera. Às vezes, tenho vontade de desistir. Às vezes, quero parar de ter fé em Deus. Parar de confiar. Parar de crer na Bíblia ou nas promessas pessoais de Deus para mim. Parar de ajudar os outros quando eles usam minha bondade como permissão para carimbar bem-vindo em minha testa e limpar seus pés. Canso de estar consciente do meu testemunho ou de jejuar e orar por pessoas que não jejuam nem oram por si mesmas. E o maior de todos: às vezes, desisto da promessa de que “Aquele que vem virá” (Hb 10:37). Percebi que você não é meu sacerdote, mas dizem que a confissão é boa para a alma. No entanto, o que é divertido – e ótimo – sobre a fadiga espiritual, é que, quando eu estou no meu nível mais baixo, a única coisa que causa minha frustração é o que me impede de desistir. Sim, você adivinhou, a Bíblia. Quando leio sobre Ana, a profetisa, ela me dá uma perspectiva totalmente nova. Ela sabia algo sobre lutar com Deus. Ana ficou viúva depois de apenas sete anos de casamento. Ela tinha oitenta e quatro anos, sem filhos para cuidar dela, sem lar e sem INSS nem plano de saúde para idosos. Ela tinha motivos para desistir. Em vez disso, nossa irmã Ana adorou a Deus, apesar das circunstâncias. Ela era fiel em testemunhar de seu estilo de vida. Sabia que não importava como se sentia, o jejum e a oração ainda produziam resultados. Não importava o que o dia trazia, ela agradecia a provisão de Deus. Ela aceitou o chamado de Deus para ser profetisa, que exigiu muita coragem. Sim, Ana me ensinou muito. Eu não vou para o fundo tão rápido quanto antes. Agora avanço um pouco mais com meu jejum e oração. Agora entendo melhor que preciso manter a minha vida de testemunho para o meu Salvador, não importa o tipo de dia que estou tendo. Mas a lição mais valiosa de nossa irmã é que ela nunca deixou o templo (Lc 2:37). Ela esperou ansiosamente que Deus salvasse Jerusalém. Ajuda-me, Senhor, a sempre me lembrar de esperar ansiosamente para que venha em meu resgate, não importa quanto tempo demore. Não saia! Senhor, ajuda-me a alegrar-me enquanto espero.

D. Reneé Mobley


O AMOR PERMANECE – 25 DE JANEIRO 2019

Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor. 1 Coríntios 13:13

Minha filha e meu filho têm seis e quatro anos de idade. Eles chamam meus pais, os avós, carinhosamente de “Oma” e “Opa”. Nossa família recentemente foi ao cruzeiro do Caribe com Oma e Opa. O navio de cruzeiro tinha cinco toboáguas que faziam os banhistas submergir nas piscinas abaixo. Minha filha observava as pessoas escorregarem e quis experimentar também. Ela quase não tinha altura para descer o escorregador; mas, ainda assim, pediu para ir. Depois de eu mesma descer em um deles, decidi que ela dava conta do escorregador. A primeira descida na rampa deixou um grande sorriso no rosto dela. Quando ela saiu da água, meu pai saltou da cadeira, caminhou até ela, tomou seu rostinho entre as mãos e disse: – Estou tão orgulhoso de você! – Minha filha sorriu de orelha a orelha. Foi um momento bonito e amoroso entre avô e neta. Infelizmente, meu pai faleceu inesperadamente três meses depois da viagem. Após sua morte, minha mãe veio morar perto de nós. Ela participou de um evento de angariação de fundos na escola da minha filha. Parte do evento de angariação de fundos incluía a participação de minha filha numa corrida de revezamento de trinta e cinco voltas num determinado período. Quando minha filha cruzou a linha de chegada, minha mãe correu direto para ela. Colocou o rostinho da minha filha entre as mãos e disse: – Estou tão orgulhosa de você! – Minha filha sorriu de orelha a orelha. Meus olhos se encheram de lágrimas naquele momento. Perdi meu pai, mas senti como se o amor que meu pai demonstrava aos meus filhos sobrevivesse no amor que minha mãe continuava a demonstrar a eles. Desde a morte do meu pai, sentimos uma perda que não será preenchida por nenhuma outra pessoa. No entanto, o amor demonstrado por meu pai ao longo de muitos anos continua a viver na memória e na capacidade de continuar a demonstrar amor uns aos outros. Como família, também nos aproximamos do nosso Pai celestial, e agradecemos o tremendo amor que Ele nos dá. “Conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus” (1Jo 4:16).

Beatrice Tauber Prior


A IGNORÂNCIA PODE SER FATAL – 26 DE JANEIRO 2019

Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. 2 Timóteo 2:15

Este mundo está cheio de problemas e dificuldades. Cada um tem a própria porção de fardo para carregar, mas eles ficam mais difíceis quando ignoramos o que precisamos saber da Palavra de Deus. Principalmente para as mulheres que têm muitas responsabilidades: filhos para educar, tarefas domésticas para terminar, esposo para cuidar e trabalhos complementares para ajudar a sustentar a família. A lista é longa. Por isso, muitas mulheres não tomam tempo para cultivar os hábitos de estudar, aprender e se manter informadas. Uma escritora inspirada aconselha: “Em lugar de se entregar a uma verdadeira labuta, procure a esposa e mãe encontrar tempo para ler, para se manter bem informada, para ser uma companheira a seu marido, e se conservar em contato com a mente em desenvolvimento de seus filhos. […] Consagre tempo ao estudo de Sua Palavra, para levar as crianças aos campos, e aprender a conhecer a Deus mediante a beleza de Suas obras” (Ellen G. White, O Lar Adventista, p. 110). A Bíblia é a biblioteca que contém instruções para experimentar alegria e paz, bem como sugestões para resolver problemas diários e vencer a tentação. Ela nos orienta a manter um relacionamento mais saudável com Deus e com o semelhante. Lemos no texto do tema de hoje o que o apóstolo Paulo nos adverte: “Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” Essa admoestação vale para nós, mulheres, que temos a responsabilidade de educar os filhos. O entendimento correto protege de problemas mais tarde. Afinal, a ignorância pode ser fatal. Os discípulos de Jesus passaram por uma agonia indescritível durante a Sua crucifixão por causa da ignorância. Eles poderiam ter sido poupados de tristeza e sofrimento se tivessem “manejado bem a palavra da verdade”. Para Judas, a ignorância provou ser fatal. Cara leitora, que o sofrimento e a tristeza que você vivencia sejam aliviados por meio do conhecimento e da crença nas promessas de Deus. Que você encontre uma solução para seus problemas. Por que não tomar tempo para convidar o Espírito Santo para ensinar a Palavra de Deus a você? Afinal, Jesus “abriu” a mente dos discípulos “para que pudessem compreender as Escrituras” (Lc 24:45). Ele fará o mesmo por você.

Omobonike Adeola Sessou


DEUS NÃO DESISTE – 27 DE JANEIRO 2019

Nunca o deixarei, nunca o abandonarei. Hebreus 13:5

Vinte e oito anos atrás, de forma tola permiti que meu relacionamento com Deus falhasse. Criada por pais cristãos amorosos, ainda acreditava em Deus, mas devido às circunstâncias da vida, não consegui manter uma caminhada diária com Ele. Parei de ler a Sua Palavra, e minha vida de oração também cessou. Meus pais e os membros da igreja continuaram a orar por mim. Eu ficava indiferente. Um dia, ao ouvir as notícias e contemplar a situação do mundo, passei a considerar as coisas espirituais. A gravidade das minhas ações anteriores me impactou. Caí de joelhos em desespero, clamando a Deus para me perdoar. Satanás, no entanto, que é sempre rápido para nos atacar quando estamos para baixo, me disse que eu havia afastado a Deus. Talvez eu tivesse cometido o pecado imperdoável de ignorar o Espírito Santo, e Deus não me ouviria mais. Implorei ao Senhor para me mostrar se ainda havia uma chance para mim e se a Sua graça ainda poderia me alcançar. Pedi a Ele uma resposta específica. Deus, sei que há um novo pastor na igreja dos meus pais. Por favor, que ele me ligue. No dia seguinte, enquanto estava de folga da enfermagem, meu telefone tocou. Atendi e ouvi: – Olá! Sou o pastor Jonathan Gallagher. Eu já tinha o seu número há algum tempo, mas senti que deveria entrar em contato com você. Posso visitá-la? Eu mal podia acreditar no que estava ouvindo. Era o pastor da igreja dos meus pais! Eu estava errada em pensar que havia afastado a Deus e que Ele não ouviria mais as minhas orações. Deus não desiste de nós com facilidade. Ele respondeu diretamente à minha oração e me deu a convicção que eu precisava. Em Sua graça e misericórdia, Ele não me deixou de lado. Ele estava esperando que eu percebesse minha necessidade Dele. Deus chegou ao extremo para nos salvar. Ele está determinado a nos dar o dom da salvação, se aceitarmos. Sua voz gentil e amorosa chama você hoje. Não desista de se voltar para Ele. Deus a receberá com os braços abertos, assim como o pai do filho pródigo na parábola de Cristo. O Pai Celestial a ama muito, e Ele nunca desistirá de você.

Karen Richards


DEUS PROVERÁ – 28 DE JANEIRO 2019

O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as Suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus. Filipenses 4:19

Nosso veículo, ano 2005, estava com a quilometragem alta. Sabíamos que ele não poderia continuar funcionando bem para sempre, e economizamos o máximo que pudemos, a cada mês, para comprar um carro mais novo. Tentamos sempre evitar os parcelamentos; economizamos e compramos quando temos o suficiente. Nós moramos no norte do país no verão e nos mudamos para o sul do país, que é mais quente, no inverno; por isso, percorremos muitos quilômetros extras no nosso veículo quando viajamos de norte a sul a cada ano. Fazemos também muitas viagens curtas para fora da nossa localização no sul. Nosso carro não apresentava problemas, e nós queríamos que continuasse assim. Lentamente, as economias cresceram. Então, em janeiro, chegou a conta do seguro da casa pré-fabricada. Totalizava mais de mil dólares. Precisaríamos utilizar as economias para cobrir o pagamento. Eu lamentava, porque odiava tirar qualquer quantia da poupança. Mas o seguro precisava ser pago. Decidi conversar com o Senhor sobre esse probleminha, mas não tinha muita fé sobre a possibilidade de alguma mudança. Quando você está aposentada e vive com renda fixa, não há muita chance de ganhar dinheiro extra. Alguns dias antes de fazer o cheque do seguro – enquanto eu ainda estava orando, sem crer – recebemos um cheque inesperado no correio. O valor era de apenas alguns dólares a menos que a conta do seguro. Mais uma vez Deus agiu, mesmo quando eu não conseguia ver como Ele faria. A diferença entre o cheque inesperado e a conta do seguro foi tirada da conta bancária regular sem qualquer problema – e pagamos a conta do seguro. Isso deixou a conta de poupança intacta. Eu estava tão envergonhada de mim mesma. Por que eu não acreditei? Quando somos fiéis nos dízimos e ofertas, Deus prometeu cuidar de nossas necessidades. A questão não era não ter o dinheiro para pagar o seguro, mas manter intacta a conta de poupança que estava destinada a outra coisa. Deus sabia que isso era importante para nós. Querido Pai, perdoa minhas dúvidas e me ajuda a lembrar sempre que estás no controle e cuidarás das nossas necessidades.

Anna May Radke Waters


ELE É CONFIÁVEL – 29 DE JANEIRO 2019

Confie no SENHOR de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento. Provérbios 3:5

Meu coração se parte sempre que alguém que eu confio trai minha confiança. Isso acontece com frequência – especialmente no local de trabalho, onde a honestidade e a transparência às vezes são perdidas nas interações diárias com várias pessoas. É a natureza de ser administradora, concluo. As pessoas parecem esquecer que eu sou humana. Palavras ditas na minha ausência minam meu trabalho e promovem um espírito de discórdia. Pior, porém, são as palavras gentis ditas na minha presença pelas mesmas pessoas que não são sinceras em seus motivos. Isso é o que causa desânimo e confusão porque eu costumo levar as pessoas a sério. Certa manhã, enquanto eu dirigia para o trabalho, estava profundamente ofendida e lamentei o fato de estar muito insegura quanto em quem confiar, além da minha família imediata. Eu estava como que em areia movediça e me sentia perdida e vulnerável. O Espírito de Deus começou a falar comigo. Tive um pensamento súbito: E se eu não confiasse em ninguém além de Deus? Isso seria uma loucura! Eu raciocinei. Mais uma vez, o mesmo pensamento persistiu. E se eu não confiasse em ninguém, mas ainda me comprometesse a amar a todos, qualquer que fosse a situação? E se eu confiasse em Deus para me manter verdadeira e permitisse que Ele fizesse o mesmo para os outros? Saber que Deus pode, e mudará o coração de homens e mulheres, me ajuda a ser livre para amá-los, assim como eu oro para que eles também me amem. A Bíblia está cheia de pessoas que confiaram em seus carros e cavalos, mas falharam (Sl 20:7). Alguns confiaram em si mesmos. Alguns confiaram em outros deuses, poder ou riquezas. No entanto, todos eles falharam. Mas o amor de Deus nunca falha. Não é de admirar que a ordem de amar a Deus seja o maior mandamento, e amar o nosso próximo como a nós mesmos seja o segundo maior. Na hora de trabalhar naquela manhã, meu coração se tranquilizou e descansou no apelo urgente para confiar em Deus acima de tudo e também para amar os outros. Eu me senti tranquilizada e pronta para enfrentar minhas tarefas sabendo que Deus está no controle. Posso confiar em Deus para me dar um coração puro, motivos altruístas e a graça para amar os meus colegas. Posso aceitar pessoas que sorriem na minha frente – e zombam de mim pelas costas – sem desmoronar. Por quê? Porque minha total confiança está no Senhor. E você? O que abala seu coração? Por que não confia em Deus para cuidar disso?

Rose Joseph Thomas


CRIADA Á IMAGEM DE DEUS – 30 DE JANEIRO 2019

Graças Te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as Tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem. Salmo 139:14, ARA.

Você já se olhou no espelho e não gostou do que viu? Lembro-me de ocasiões em que evitei olhar no espelho, não querendo ver em mim as partes que eu achava muito grandes, muito longas e muito irregulares. Olhei no espelho e senti que parecia faltar algo. Talvez isso tenha acontecido com você também. Somos críticos com nossa aparência – toda vez que ligamos a televisão ou o rádio, ou abrimos uma revista, somos bombardeados com a imagem de beleza da sociedade. Como mãe de duas garotas, não quero que minhas filhas se vejam da maneira como a sociedade as ensina a olhar para si mesmas. Recentemente eu refletia sobre o Salmo 139, um dos meus favoritos. Depois de passar algum tempo pensando em como Deus sabe tudo sobre nós – o que pensamos, onde vamos, o que dizemos e o que precisamos (v. 1-5) – parei no verso 14 e li: “Graças Te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as Tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem” (ARA). As palavras de Davi foram diretas ao meu coração medroso. Elas me fizeram lembrar que eu fui feita de modo assombrosamente maravilhoso. Outra palavra para assombrosamente neste contexto é “impressionante”. Fui feita de modo impressionante e maravilhoso. Dando um passo adiante, Gênesis 1:27 diz: “Criou Deus o homem à Sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Pense nessas verdades por um momento e deixe que penetrem em seu coração. Você foi feita de modo assombrosamente maravilhoso à imagem de Deus. Ele fez você especialmente como você é, e as obras Dele são maravilhosas. Quando pensamos que está faltando algo em nós, ou precisamos usar isso ou aquilo, ou cortar e amarrar aqui e ali, o que realmente estamos dizendo é que não estamos felizes com o trabalho de Deus. Hoje, eu escolho acreditar na verdade sobre mim. Espero que você acredite na mesma verdade sobre você. Nós fomos feitas de modo assombrosamente maravilhoso à imagem de Deus.

Sylvia Mendez


O GRANDE PLAYGROUND DE DEUS – 31 DE JANEIRO 2019

Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das Suas mãos. Um dia fala disso a outro dia; uma noite o revela a outra noite. Sem discurso nem palavras, não se ouve a Sua voz. Mas a Sua voz ressoa por toda a Terra, e as Suas palavras, até os confins do mundo. Salmo 19:1-4

Cresci em uma fazenda na Costa Leste. Estava localizada em um ponto do oceano a apenas quatrocentos metros de distância – rodeada em três lados. Às vezes, durante o inverno, ficávamos presos durante semanas esperando um arado limpar a estrada. No inverno meu irmão e eu esperávamos tempestades de gelo para subir ao topo dos pinheiros e deslizar nos ramos para as pilhas de neve macias lá embaixo. Cavávamos elaboradas fortalezas nas encostas de montanhas de neve de dois a três metros. À noite, seguíamos o caminho entre as altas colinas de neve que iam da nossa casa aos celeiros, onde éramos calorosamente recepcionados pelos animais, especialmente os gatos que brincavam nas vigas e pilhas de feno. No verão, brincávamos de esconde-esconde nos campos de grama alta, deitávamos ao sol procurando formas nas nuvens e observávamos as formigas carregarem cargas muito maiores que elas mesmas, para a sua rainha. Íamos de bicicleta empoeirada para a praia, onde construíamos castelos, fortalezas e brincávamos com peixinhos e criaturas marítimas nas piscinas naturais. Essa era a nossa praia particular, o nosso paraíso, pois não nos importávamos com o mundo enquanto brincávamos e caminhávamos pelas rochas, praias e bosques perto de casa. Muitas vezes, eu gostaria de poder voltar à simplicidade, pureza e paz daqueles dias. Agora a vida é tão ocupada: contas a pagar, tarefas a realizar, obrigações a cumprir. O noticiário é deprimente, a boa saúde é uma bênção e, às vezes, não sei se estou indo ou vindo. O que mudou? Não são os campos, nuvens, oceano, formigueiro ou neve caindo. Não é a natureza de Deus ou a simplicidade Dele que mudou – e sim as minhas prioridades. Eu me esgotei com as preocupações de adultos e perdi o que as crianças veem e experimentam: o grandioso playground de Deus e a capacidade de aproveitar o amor Dele para com aqueles com quem me importo. Talvez eu não consiga mais brincar o tempo todo; mas, se eu tomar tempo, ainda consigo ver formas no céu e borboletas em canteiros de flores. E, se eu realmente quiser, posso até construir uma fortaleza de neve. Separe um tempo, hoje para aproveitar o que o dinheiro não pode comprar e a pobreza não pode tirar – o grandioso playground de Deus.

Naomi Striemer

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Fale Conosco!